III Torneio de Natal PRA-Raposo, Sá Miranda e Associados foi «enorme sucesso»

O III Torneio de Natal do Instituto do Judo, que reuniu, no passado dia 13 de Dezembro, centenas de praticantes e familiares, no pavilhão da Escola EB 2/3 Cardoso Lopes, na Amadora, foi um enorme sucesso e os responsáveis já fazem planos para o sarau de 2016. Entre técnica, dedicação e muito esforço, pais e alunos encontraram ainda tempo para a diversão e o companheirismo.

Pedro Raposo, sócio da Raposo, Sá Miranda e Associados, um dos patrocinadores do evento, era um homem satisfeito: «Há dois anos atrás, o João Rodrigues apresentou-nos o projeto e nós percebemos as dificuldades que existiam na altura, por um lado, e, por outro lado, achámos de louvar a iniciativa de levar o judo a um conjunto de miúdos que não tem capacidade económica para o fazer gratuitamente. Como temos a política no escritório de apoiar projetos deste género, achámos que este era um dos que valia a pena e, por isso, estamos a apoiar».

 

«Judo obriga a disciplina e ao cumprimento de regras»

 

Para o advogado, «o judo pode ser uma atividade muito importante, porque obriga a disciplina, ao cumprimento de regras próprias e a ter uma componente muito grande de concentração, o que é muito importante sobretudo nos meios onde existem mais dificuldades».

Já em relação à prova, Pedro Raposo, considerou que correu «muito bem», encontrando-se já a preparar o deste ano, onde pretende «apostar em mais atividades para os pais e as outras pessoas que vêm ver, como street-food e outras, que ainda vamos discutir com a presidente da Câmara».

 

Projeto essencial numa «cidade com muitas fragilidades»

 

Carla Tavares, presidente da Câmara da Amadora, partilhava dos mesmos sentimentos. «É extremamente importante congregar um conjunto de escolas e de alunos do nosso concelho, as suas famílias e criar um ambiente como o que se verifica aqui», disse.

«O Instituto do Judo tem tido um papel muito importante na cidade da Amadora e estamos particularmente satisfeitos com o protocolo que tivemos oportunidade de firmar com eles, há cerca de dois anos», acrescentou a edil.

«O trabalho extraordinário que estão a desenvolver é muito importante num concelho que tem algumas caraterísticas especiais de fragilidade e onde iniciativas como esta têm um papel muito importante, quer a nível desportivo, quer no que toca aos resultados escolares dos nossos miúdos», defendeu ainda Carla Tavares.

«Este projeto tem sido um casamento muito feliz, de que eu, enquanto presidente de câmara, me orgulho muito e desejo sinceramente que continue e até já estamos a preparar o sarau do ano que vem, à procura de um espaço maior e é muito reconfortante e agradável ver que os pais também se envolvem muito neste processo», concluiu a autarca.

 

Organização de parabéns

 

Por seu turno, Ariana Sanches, atleta cabo-verdiana de alta competição, louvou uma prova «bastante organizada e bastante interessante pela mensagem da competição». Para a judoca, «é importante promover o judo, não só a nível de competição, mas a nível da preparação também».

Ariana Sanches lamenta não ter tido «a sorte de haver estes torneios, até porque comecei com 12 anos, porque penso que faz toda a diferença quando se começa mais jovem, com 5 ou 6 anos de idade».

Para a atleta, «a importância deste género de competições é também essencial para que saibam ganhar ou perder, algo que é promovido desde crianças, não só para o judo, como para a vida».